Sangue Novo

ModaLisboa -

Estar na presença de algo completamente puro é um raro ato de deslumbramento, especialmente porque já não estamos habituados a lidar com a ausência de vícios. Mas a moda move-se no desconforto. A moda ganha velocidade no atrito. Cresce na colisão de opostos. É por isso que assistir a um desfile de Sangue Novo nos empolga, nos faz sentar à beira da cadeira, nos traz as borboletas de volta para o estômago: porque desarma. É aqui que reside a beleza da criatividade sem regras nem obrigações. É aqui que reside a liberdade.

Precisamos de Sangue Novo como precisamos de oxigénio. Novo talento é tão essencial para uma visão clara e desafogada como respirar. Voltamos a abrir o concurso ao mundo e voltamos também a mantê-lo anual. O júri é composto por Miguel Flor (Presidente), que foi o vencedor do concurso Sangue Novo em 1996, e, desde então, tem sido um nome maior em moda, design, arte e fotografia, acrescentando à sua multiplicidade criativa a direção da revista Prinçipal e trabalhando constantemente na descoberta de novos talentos; Lidija Kolovrat, designer de moda nascida na Bósnia, estudou moda e cinema em Zagreb, Croácia e, em 1990, mudou-se para Lisboa para criar uma marca que se tornou num ícone da criatividade; e Veronique Branquinho, designer de moda belga com ascendência portuguesa, que estudou na Royal Academy of Fine Arts, na mítica Antuérpia, e que soma à sua marca homónima experiência no ensino, curadoria, direção artística e edição.

A convocatória a jovens designers foi enviada para as principais escolas de moda nacionais, europeias e americanas, foi partilhada online e, através dela, chegaram-nos 82 candidaturas vindas não só de Portugal, mas do Brasil, Reino Unido, França, Itália, Espanha, Roménia, Alemanha, Grécia, Holanda, Bélgica e Estados Unidos da América. Dos 59 portefólios portugueses e 23 internacionais que chegaram aos escritórios ModaLisboa, foram escolhidos 10 finalistas que, nesta primeira fase, apresentarão as suas coleções no dia 11 de outubro de 2019: André Santos, Beatriz Julião, Cêlá, Feliciano, Ferencz Borbala (Roménia), Filipe Cerejo, Flávia Brito (Brasil), Francisco Pereira, Inês Manuel Baptista e Louis Appelmans (Bélgica). É nesse mesmo dia que Adriano Batista (Diretor da revista Fucking Young!, a mais fresca, pertinente e disruptiva publicação de streetwear e moda masculina do momento) e Danilo Venturi (Diretor da Polimoda, a melhor instituição de ensino de moda em Itália, e uma das dez melhores do mundo) se juntam ao painel de jurados e anunciam os seis designers que passarão à fase seguinte do concurso. Cada finalista receberá um prémio monetário de 1000 euros e apresentará uma nova coleção em março de 2020. Só então é que o júri elegerá os vencedores do Sangue Novo.


PRÉMIOS SANGUE NOVO

Prémio ModaLisboa em parceria com a Polimoda: Master in Fashion Design, ou Master in Collection Design, na Polimoda + 3500 euros.

Prémio ModaLisboa em parceria com a Tintex Textiles: residência de 3 semanas na Tintex + 2000 euros.

Prémio Fashionclash Festival: desfile no Festival de Moda de Maastricht.

Prémio The Feeting Room (atribuído em ambas as fases do concurso): venda da coleção premiada na loja The Feeting Room de Lisboa ou Porto.


MODALISBOA COLLECTIVE. Moda é futuro. E o futuro é coletivo.

Júri

Miguel Flor
Miguel Flor
Lidija Kolovrat
Lidija Kolovrat
Veronique Branquinho
Veronique Branquinho
Adriano Batista
Adriano Batista
Danilo Venturi
Danilo Venturi

Parceiros

Polimoda 2019
Tintex 2019
Fashionclash 2019
The Feeting Room 2019

Recorde os últimos desfiles

ModaLisboa Insight
Março 2019
ModaLisboa Multiplex
Outubro 2018