FacebookPinterestTwitter
4. Dezembro 2020

RENÉ LALIQUE E A IDADE DO VIDRO

-  Exposições,  Arte,  Design

RENÉ LALIQUE E A IDADE DO VIDRO

Três décadas após a última exposição inteiramente dedicada a René Lalique, a Fundação Calouste Gulbenkian volta a enaltecer a obra do artista, com uma mostra focada nas suas extraordinárias peças em vidro. Em exibição até 1 fevereiro de 2021, “René Lalique e a Idade do Vidro” reúne cerca de 100 obras, entre joias, peças de ourivesaria, vidros e objetos de design do espólio do Museu Gulbenkian, assim como do Museu Lalique (Wingen-sur-Moder) e de coleções particulares de todo o mundo.

Com curadoria de Luísa Sampaio, a exposição percorre todos os grandes momentos da carreira de René Lalique, desde a fase de produção artesanal como joalheiro no período Arte Nova, até ao momento em que passou a dedicar-se exclusivamente ao vidro e assumiu o papel de “industrial-criador”. O percurso da exposição é cronologicamente ancorado em dois momentos chave da arte do século XX: a Exposição Universal de 1900 e a Exposição Internacional de Artes Decorativas e Industriais Modernas de 1925.

Após a instalação da fábrica de Wingen-sur-Moder, na Alsácia, em 1922, e movido pela ideia de “arte social”, preconizada pelo crítico Roger Marx, Lalique diversificou e desenvolveu a sua produção vidreira, orientada a partir de então para a realização de objetos em vidro produzidos em escala industrial e à aplicação do vidro na arquitetura e no design.

“René Lalique e a Idade do Vidro” revela de que forma a procura da transparência esteve sempre presente na produção de René Lalique e confirma a importância do contributo do artista para a arte do vidro.