FacebookPinterestTwitter
11. Março 2020

MODALISBOA AWAKE. O FUTURO ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS

-  ModaLisboa,  ModaLisboa Awake

MODALISBOA AWAKE. O FUTURO ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS

Enquanto escrevemos este texto, metade da equipa MODALISBOA está a desmontar tudo o que foi físico em AWAKE nas Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento do Exército. A outra metade está a fazer reuniões de debrief, pontos de situação, avaliações. Isto porque as datas oficiais de AWAKE terminaram, oficialmente, no domingo, mas ainda faltam seis meses para darmos por fechada esta estação.

39 designers apresentaram, de 5 a 8 de março, as suas coleções para o outono/inverno 2020/2021. Em setembro, estas coleções chegam às lojas e até lá não deixaremos de promovê-las. Isto porque a ModaLisboa não existe de seis em seis meses, a Moda nacional não existe de seis em seis meses. A Moda é um trabalho continuado e a ModaLisboa funciona todos os dias.

Mas estamos aqui para falar da Lisboa Fashion Week. O evento que contou com cerca de 23 mil visitantes. O evento sobre o qual se escreveram, até ao momento, mais de 600 notícias — e ainda não tivemos mãos a medir quanto a publicações em redes sociais, mas o alcance de quase 500 mil pessoas e 2 milhões de impressões diz-nos que nunca vamos ter. Este foi o evento que se abriu, mais do que nunca, ao mundo.

A programação desta edição da ModaLisboa começou mais cedo. Na terça feira, dia 3, já brindávamos à sua inauguração num cocktail no Hotel Iberostar Selection Lisboa e, no dia seguinte, dávamos o pontapé de saída ao UNITED FASHION LISBOA que, para além de 15 designers europeus e comitivas de seis países envolvidos no projeto, ainda recebeu sete prestigiados oradores da indústria de Moda nacional para ações de formação, networking e, no geral, de futuro. Foi precisamente este projeto internacional que nos fez regressar aos Paços do Concelho para uma noite mágica. As Fast Talks, moderadas por Patrícia Barnabé, brilharam na Sala do Arquivo com um dos painéis internacionais mais impressionantes de sempre — Jeanne de Kroon, Lisa Lang e Diana Verde Nieto. Depois, todo o edifício nobre da Câmara Municipal de Lisboa, a nossa co-organizadora, foi a casa dos sonhos: 14 happenings de Moda em simultâneo fizeram com que 5 de março fosse a data que nunca iremos esquecer.

Na sexta feira, já não contávamos com o fator surpresa de abrir as Oficinas Gerais de Fardamento e Equipamento do Exército ao público, é certo, mas contamos sempre com a nossa capacidade de inovar e de recriar. O espaço Wonder Room, desta vez com 25 marcas sustentáveis, também foi a casa do carrossel Portuguese Shoes by APICCAPS, dos três designers nacionais participantes no UNITED FASHION LISBOA, dos cinco finalistas de Sangue Novo e dos três fotógrafos de Workstation — e mais: foi o espaço onde se gravou o podcast, em parceria com a Catalyst Future Fashion, a ser revelado muito em breve. No Armazém do Ferro, a exposição multimédia da Zona Industrial MODAPORTUGAL by CENIT/ANIVEC tirava o fôlego a todos os que lá entravam e a nossa Área Social nunca foi tão concorrida — mérito para os nossos parceiros, patrocinadores e as suas equipas que, no total, envolveram 150 pessoas.

Na edição 54, a ModaLisboa continuou a ser um evento de primeiras vezes. Foi a primeira vez que fizemos um Fashion Hackathon no espaço Check Point — que, no total, recebeu 24 especialistas da indústria. Foi a primeira vez que criámos uma programação de performances, que contou com oito artistas, entre DJs, músicos, cantores, atores, bailarinos e performers multifacetados. Foi a primeira vez que dedicámos toda a programação das nossas ações abertas à sustentabilidade, em linha com a eleição de Lisboa como Capital Verde Europeia 2020, embora ela esteja permanentemente na nossa agenda — continuamos a atualizar o nosso guia de boas práticas, continuamos a colaboração com a ReFood, continuamos a reutilizar mobiliário do espaço ou de arquivo, ou a construir o evento com parcerias verdes (como é o caso do Resort, com a Floema, a PneuGreen ou a Fermob).

Nos bastidores, entre modelos, maquilhadores, cabeleireiros, aderecistas e assistentes, 350 pessoas fizeram Lisboa fervilhar de emoção enquanto preparavam tudo o que desfilou nas nossas duas salas. Isto porque as coleções, os designers, a roupa, continuam a ser o foco de uma semana de Moda, mesmo que esta semana de Moda seja cada vez mais livre, abrangente, aberta. É ali que todos queremos estar. Porque todos queremos estar no futuro.

Só que só há futuro se vivermos em linha com o mundo. Para que exista internacionalização, não é necessário que os nossos designers desfilem em Paris, em Milão, em Londres ou em Nova Iorque. Hoje, o mundo é uma só casa e Lisboa é dos quartos mais requisitados. O crescente interesse pela capital faz com que os holofotes internacionais se virem para esta semana de Moda em que o novo talento não para de surgir. Em AWAKE, focámo-nos nos mercados europeus e trouxemos uma comitiva de 43 buyers das melhores lojas da Europa — como a Printemps, Farfetch, Machine A ou United Legend. Tivemos 114 jornalistas internacionais, para além dos habituais 221 nacionais. Tivemos um evento maior, sim, mas também tivemos um evento melhor. Ao mesmo tempo que crescemos, focamo-nos. Ao mesmo tempo que pensamos, agimos.

Estar AWAKE é agir. É construir, materializar, solidificar. Estar AWAKE é mudar quando é preciso mudar e manter, ao mesmo tempo, o que nos é próximo do coração. Estar AWAKE é fazer a diferença. A ModaLisboa fez a diferença — faz a diferença.

MODALISBOA AWAKE. O futuro está nas nossas mãos.

MODALISBOA AWAKE
FW 20/21
5. 6. 7. 8 MARÇO 2020
OFICINAS GERAIS DE FARDAMENTO E EQUIPAMENTO DO EXÉRCITO

Apresentação oficial das Coleções dos Criadores Portugueses.

A Lisboa Fashion Week é promovida pela Associação ModaLisboa em co-organização com a Câmara Municipal de Lisboa. A iniciativa é cofinanciada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do Programa Operacional de Lisboa do Portugal 2020.