FacebookPinterestTwitter
27. Junho 2019

A GULBENKIAN E O CINEMA PORTUGUÊS

-  Cinema

A GULBENKIAN E O CINEMA PORTUGUÊS

De 5 a 14 de julho, a Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, apresenta a 4ª edição do ciclo “A Gulbenkian e o Cinema Português”, que celebra a relação entre a Fundação e o cinema e cineastas portugueses ao longo dos últimos 50 anos.

Com a curadoria de António Rodrigues, serão exibidas 15 curtas e longas-metragens resultantes de apoios concedidos pela Fundação Calouste Gulbenkian a primeiras obras, projetos experimentais ou como incentivo à internacionalização do cinema português contemporâneo. As 15 obras, de nove realizadores de diferentes gerações, serão exibidas em seis sessões, divididas por três temáticas: “O Futuro da Memória”, “Artistas Filmados” e “Os Anos Gulbenkian”. 

No primeiro dia do ciclo será apresentado o filme “A Volta ao Mundo quando tinhas 30 anos” de Aya Koretzky, com a presença do crítico de cinema, Bernardo Vaz de Castro. No último dia será exibido “Atos de Cinema”, do realizador Jorge Cramez. Para o curador, António Rodrigues, as duas produções “apontam para o futuro e são filmes sobre memória, pessoal ou alheia, que abarcam o que já foi feito e fazem parte do mesmo património”.

“Os Anos Gulbenkian” integram a programação dos dias 6 e 13 de julho e incluem nove pequenos filmes realizados entre os anos de 1968 e 1975 pelos cineastas Paulo Rocha e António-Pedro Vasconcelos, a realizadora, artista e escritora Ana Hatherly e o artista plástico Luís Noronha da Costa.

Nos dias 7 e 12 de julho, o ciclo conta com sessões dedicadas aos “Artistas Filmados”, documentários sobre artistas contemporâneos portugueses realizados com apoio da Fundação Calouste Gulbenkian. É o caso de “Ver o Pensamento a Correr” (1995), um filme sobre António Palolo dirigido por Jorge Silva Melo; “Pintura Habitada” (2006), um documentário de Joana Ascensão sobre o trabalho de Helena Almeida; “Da Natureza das Coisas” (2003), uma abordagem à obra de Carlos Nogueira pelo realizador Luís Miguel Correia; “Blind Runner - An Artist Under Surveillance” (2007), um filme de Luís Alves de Matos sobre o trabalho de João Louro.

O ciclo "A Gulbenkian e o Cinema Português" é de entrada gratuita, sujeita a levantamento de bilhetes.