FacebookPinterestTwitter
23. Janeiro 2020

DESIGN PORTUGUÊS EM EXIBIÇÃO NO PALÁCIO DE SÃO BENTO

-  Exposições,  Design

DESIGN PORTUGUÊS EM EXIBIÇÃO NO PALÁCIO DE SÃO BENTO

Uma exposição com mais de 80 peças de design português inaugura no dia 25 de janeiro na residência oficial do Primeiro-Ministro. “Design em São Bento - Traços da Cultura Portuguesa” apresenta uma seleção de mobiliário, luminária, objetos decorativos, alfaias agrícolas, tapeçarias e peças científicas do século XII ao XXI, que evidenciam traços da cultura material portuguesa. A mostra estará patente até 30 de junho de 2021, com visitas guiadas todos os primeiros domingos de cada mês, das 11h às 13h.

Depois de três edições do ciclo Arte em São Bento, em que durante um ano um comissário expõe peças de Arte Portuguesa no Palácio de São Bento, a residência oficial do Primeiro-Ministro passa a ter também um programa de design. Uma iniciativa do Primeiro-Ministro, António Costa, concretizada em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e o MUDE - Museu do Design e da Moda.

Na base da exposição “Design em São Bento – Traços da Cultura Portuguesa” está o conceito de “diálogo entre a seleção de peças e outras já existentes naquele lugar, que, fazendo uso de materiais como o vidro, a pedra, a tapeçaria ou a cortiça, dão uma visão da portugalidade num sentido mais amplo”, afirmou Bárbara Coutinho, diretora do MUDE. Todas as peças selecionadas visaram “materializar um conceito e espelhar um país” e dessa forma transformar “um lugar de soberania em epicentro da cultura portuguesa”.

A conjugação do conforto e da funcionalidade para quem vive e trabalha no Palácio de São Bento com a componente de design de interiores foram os principais critérios que orientaram o desenho da exposição.

Um trilho de alfaia agrícola, um contador de Filipe Alarcão, uma tapeçaria de Vanessa Barragão, um candeeiro de cortiça de Miguel Arruda, uma peça de cerâmica de Rosa Ramalho, um louceiro lacado do século XVII, um baú do século XVI, uma tapeçaria de Almada Negreiros, um candeeiro da Boa Nova de Álvaro Siza, uma tapeçaria de Daciano da Costa, uma secretária de Filipe Alarcão, um prato de parede de Bordallo Pinheiro com intervenção do artista Vhils são apenas algumas das peças que estarão em exibição nas três salas e no átrio do Palácio de São Bento.

Mais de 80 autores e 30 marcas portuguesas estão representadas nesta mostra, que conta com a colaboração de municípios, museus, empresas, designers e coleções privadas.