FacebookPinterestTwitter
24. Julho 2020

CARPINTARIAS DE SÃO LÁZARO REABREM COM EXPOSIÇÃO INÉDITA DE JAMES NEWITT

-  Exposições,  Cinema

CARPINTARIAS DE SÃO LÁZARO REABREM COM EXPOSIÇÃO INÉDITA DE JAMES NEWITT

As Carpintarias de São Lázaro, em Lisboa, reabriram a 18 de julho com "Fossil", uma exposição inédita do cineasta australiano James Newitt, que estará patente até 29 de agosto. 

"Fossil" (2019) é uma curta-metragem que explora os lapsos na memória e as lacunas na linguagem de alguém em recuperação de um trauma. “O filme segue uma série de tensões entre dois homens. Embora não seja claro como os dois homens estão relacionados, há uma co-dependência em jogo”, lê-se em comunicado.

Resultado de uma encomenda da Art Gallery of New South Wales, em Sidney, na Austrália, "Fossil" foi inteiramente filmado nas Carpintarias de São Lázaro e apresentado na exposição "The National 2019: New Australian Art". O filme estreia agora na Europa em formato de instalação. No piso 0 das Carpintarias é projetado o filme na íntegra, em grande dimensão, e no piso -1 há uma instalação imersiva, alusiva ao ambiente que lhe deu origem.

Anton Skrzypiciel e Romeu Runa entram no elenco de "Fossil". A fotografia é de Mário Melo Costa, a produção de Anze Persin e Stenar Projects, o som de Bernardo Theriaga, e a banda sonora e mistura de Jon Smeathers.

Sobre James Newitt
Artista visual e realizador, James Newitt vive entre Lisboa e Hobart, na Tasmânia. Em Lisboa, expôs individualmente e de forma coletiva em salas e galerias como Appleton Square (2018), Ar Sólido (2016) e Maumaus Lumiar Cité (2013). Em 2010, ganhou o City of Hobart Art Prize e em 2009 foi distinguido com o Qantas Foundation Encouragement of Contemporary Art Award. Lecionou na School of Creative Arts da Universidade da Tasmânia, na Universidade da Cidade de Nova Iorque e na Academia de Arte de Tromso, na Noruega.