FacebookPinterestTwitter
29. Novembro 2019

CADERNOS AZUIS: ANOTAÇÕES ESPONTÂNEAS DE EDUARDO SOUTO DE MOURA

-  Exposições,  Arte,  Arquitetura

CADERNOS AZUIS: ANOTAÇÕES ESPONTÂNEAS DE EDUARDO SOUTO DE MOURA

“Quase sempre, começo o projeto com esquissos, são hábitos do atelier do Siza, e vou domesticando o animal com mais esquissos, maquetas, alçados e sobretudo muitas plantas”: são palavras do arquiteto Eduardo Souto de Moura que até dia 14 de dezembro expõe na NOTE - Galeria de Arquitetura, em Lisboa, 91 cadernos de esquissos criados ao longo de mais de 40 anos de carreira.

A exposição, intitulada “Cadernos Azuis”, reúne esquissos de algumas das obras mais emblemáticas de Eduardo Souto de Moura, assim como de projetos mais intimistas que não chegaram a ser concretizados, e também de objetos de design. Os desenhos em exibição foram selecionados pelo próprio arquiteto e revelam o seu imaginário ao longo do processo criativo de cada projeto.

"São neste sentido, cadernos intimistas que acompanham o arquiteto no seu dia a dia, e onde estão registadas anotações espontâneas, reflexões, inquietações, dúvidas e intenções de projeto. São cadernos que mostram como o desenho é uma ferramenta essencial para comunicarmos connosco próprios e com os outros, e também uma forma de compreender, interrogar e transformar o lugar", refere a galeria sobre a exposição.

Eduardo Souto de Moura, nascido em 1952, assinou, entre muitos outros projetos, o Estádio Municipal de Braga, a Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, e o Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança.

Foi o vencedor do Prémio Pritzker 2011, considerado o Prémio Nobel da Arquitetura.  Em 2016, foi premiado pela X Bienal Ibero-americana de Arquitetura e Urbanismo (BIAU) pelo importante contributo do seu ensino em universidades de diversos países, em 2017 recebeu o Piranesi Prix de Rome 2017, um prémio de carreira atribuído pela Academia Adrianea de Arquitetura e Arqueologia Onlus, em Roma, e em 2018 foi distinguido com um Leão de Ouro na Bienal de Arquitetura de Veneza, pelo projeto São Lourenço do Barrocal, em Monsaraz, no Alentejo.