FacebookPinterestTwitter
26. Março 2019

MODALISBOA INSIGHT | REPORT 9 DE MARÇO

-  Insight FW 19/20

MODALISBOA INSIGHT | REPORT 9 DE MARÇO

A moda que se olha ao espelho nem sempre reflete apenas a imagem daquilo que está à vista. Muitas vezes esse reflexo pode esconder uma realidade artística mais profunda que não está à vista desarmada, ou apenas é percetível a quem pretenda interpretar a moda que hoje se vive e os desafios que ela nos propõe. Mas são esses desafios que todos os anos inspiram os nossos criadores.

Constança Entrudo, João Magalhães, Imauve, David Ferreira, Carlos Gil (Powered by Portugal Fashion), Awaytomars, Kolovrat, Luís Carvalho e Ernest W Baker apresentaram ontem as suas coleções para o outono/inverno 19/20 na passerelle da MODALISBOA INSIGHT.

No espaço The Mustik Warehouse, Constança Entrudo absorveu-nos para um universo estético e criativo em que a moda toca os limites da arte. A jovem designer voltou a apresentar uma coleção que não se limita pelo género ou idade, onde se destacaram os tecidos e estampados feitos à mão.

Do The Mustik Warehouse passámos para o Pavilhão Carlos Lopes, onde João Magalhães apresentou a sua primeira coleção em nome próprio. O designer inspirou-se nas esculturas metálicas das instalações do argentino Tomás Sacraceno, assim como na geometria do Construtivismo Russo, recriando essas referências nas formas, materiais, texturas e bordados tridimensionais das peças. Padrões e plissados, resultantes da impressão de fotografias tiradas pelo designer no Japão, foram os pontos fortes da coleção.

Imauve apresentou “Manifesto”, uma coleção inspirada na abstração de Malevich, que, segundo Inês de Oliveira, designer da marca, propõe uma desaceleração, “um ritmo próprio, que suplanta calendários e é materializada em peças intemporais e reais”. A designer trabalhou silhuetas retangulares, evasé e longilíneas e apostou numa paleta cromática variada: branco, preto, vermelho, azul marinho, amarelo, bege, rosa pálido e taupe.

David Ferreira brincou com os códigos de estilo da sua marca e criou uma coleção para uma Bétnica Jovem”: uma mulher de classe social elevada, mas que se destaca e exclui desse mesmo grupo (Betos) pelo seu gosto eclético e exuberante. O designer jogou com cores e volumes entre fitted e oversized. Em tons de verde, dourado, preto, branco e rosas. Em materiais de organza e chiffon de seda, lãs, cetim de metal, pvc e pelo.

No âmbito do protocolo de cooperação estabelecido entre a Associação ModaLisboa e a ANJE, responsável pelo Portugal Fashion, Carlos Gil regressou à passerelle da ModaLisboa com a coleção “Flick´Mo…” inspirada na pintura do início do século XX, num misto de Neoplasticismo, Cubismo e Abstracionismo. Uma explosão de cor, de padrões orgânicos, uma conjugação de texturas e silhuetas construídas pela fusão de formas geométricas, resultaram num look contemporâneo e descontraído.

Nesta estação, a Awaytomars fez uma análise crítica sobre o consumo e produção excessiva, criando uma coleção a partir de peças de roupa que os membros do seu coletivo, consumidores e marcas parceiras já não usavam. O resultado foi uma coleção marcada pelas assimetrias, sobreposições, misturas de padrões e cores, que tem como principal objetivo devolver valor à peças descartadas e voltar a trazê-las para o ciclo de consumo.

Tendo a liberdade como máxima, e a natureza como principal inspiração, Kolovrat  apresentou “Nature is Magic”, uma coleção regida por um mote desconstrutivo, onde predominaram as silhuetas oversized e os fatos de três elementos. Cada peça foi pensada para ser utilizada de várias formas, trazendo um novo olhar sobre o conceito de clássico. Padrões de xadrez e camuflado fundiram-se em peças de lã e algodão com pormenores cortados e perfurados no tecido.

“Surface” foi o título dado por Luís Carvalho à sua nova coleção para o outono/inverno 19/20, que teve como principal referência alguns dos trabalhos do artista digital e de collage, Matthieu Bourel. Com base nas ilustrações, design gráfico e instalações de arte do artista, Luis Carvalho criou peças com folhos mais orgânicas, assim como silhuetas oversize com linhas mais retas. Padrões de xadrez e pied-de-poule surgiram em várias tonalidades e em materiais como a lã, o algodão, a seda e o cupro. Laranja, bege, azul noite, roxo e rosa forte marcaram a paleta cromática.

O segundo dia de desfiles da MODALISBOA INSIGHT terminou com a  estreia na ModaLisboa da marca de menswear Ernest W. Baker, fundada em 2016 pela designer portuguesa Inês Amorim e o americano Reid Baker. No espaço Tem-plate, em Marvila, a marca apresentou uma instalação com uma seleção de peças da sua nova coleção de outono/inverno 19/20 inspirada na cidade de Detroit, nos anos 1970 e 1980, e no trabalho do fotógrafo Dave Jordano, criando uma harmonia entre classicismo e um sentimento pós era industrial.

Hoje vamos poder assistir aos desfiles de Nuno Gama, Andrew Coimbra, Gonçalo Peixoto, Olga Noronha, Nycole (Powered by Portugal Fashion), Ricardo Andrez, Aleksandar Protic e Dino Alves.

MODALISBOA INSIGHT. Queremos perceber quais as tendências que irão surgir, que modelos se vão criar, que paradigma se vai instituir, que coleções se vão destacar, e que públicos iremos tocar.

MODALISBOA INSIGHT
FW 19/20
7. 8. 9. 10 MARÇO 2019
PAVILHÃO CARLOS LOPES 

Apresentação oficial das Coleções dos Criadores Portugueses.

A Lisboa Fashion Week é promovida pela Associação ModaLisboa em co-organização com a Câmara Municipal de Lisboa. A iniciativa é cofinanciada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional através do Programa Operacional de Lisboa do Portugal 2020.