FacebookPinterestTwitter
9. June 2022

DINO ALVES VESTE MARCHA DA BICA

-  Moda Portuguesa

DINO ALVES VESTE MARCHA DA BICA

Na noite de Santo António, as Marchas Populares de Lisboa voltam a descer a Avenida da Liberdade, para um desfile repleto de cor e animação. Dino Alves é o responsável pelos figurinos e cenografia da Marcha da Bica, que tem como tema "Todas as formas de amor”.

Depois de dois anos de paragem, as Marchas Populares de Lisboa estão de volta. Na noite de 12 para 13 de junho, os diferentes bairros da nossa capital vão desfilar na Avenida da Liberdade e competir pelos prémios de melhor figurino, melhor coreografia, melhor cenografia, melhor letra e musicalidade, melhor composição e melhor desfile.

Dino Alves é o figurinista e cenógrafo da Marcha da Bica e procura retratar, na figura dos marchantes, a diversidade e riqueza deste que é um dos bairros mais populares, tradicionais e históricos de Lisboa.

“Aqui ouve-se o fado e a música popular, o samba e o forró, as rezas muçulmanas, o palavreado das vizinhas de uma janela para a outra e ainda a música eletrónica que sai dos bares mais contemporâneos. É esta diversidade, tal como as diversas formas de amar que queremos retratar na figura dos marchantes. Não queremos representar as habituais varinas, vendedeiras, damas antigas, pescadores, taberneiros, ou cavaleiros, mas sim algo novo. Este é o nosso objetivo principal, ser disruptivos, sem desvirtuar aquilo que é uma marcha popular”, explica o criador.

A disrupção é traduzida no uso de materiais inesperados e elementos decorativos nas saias das marchantes, que lembram os enfeites de papel recortado que decoram as ruas nas festas populares ou na aplicação de franjas nos casacos masculinos, que remetem para os xailes das fadistas. As blusas de laçada e as camisas masculinas com folhos na carcela levam-nos para os anos 1940/50. Em termos cromáticos, Dino Alves mantém a tradição, usando o vermelho — cor predominante na maioria das marchas da Bica — juntamente com o preto e o branco, e acrescentando o verde água.

Dino acrescenta um toque final de contemporaneidade e urbano aos looks, através do uso de elementos e peças do streetwear e urban style, como os casacos masculinos inspirados nos blusões de ganga, o detalhe das cuecas a aparecerem por baixo das calças dos homens e o elemento que aparece por cima das blusas das mulheres feito em pressinta e tachas de metal.

"Queremos apresentar uma marcha popular que está na moda, ou um desfile de moda que se inspirou numa marcha popular", conclui Dino Alves.

FOTOS: Tomás Monteiro